culpa

“Culpa”. Tem horas que você se depara com essa palavra, ou esse sentimento, o que preferir. Para ler escutando:

Voltei de Curitiba agora pouco. E, se tem uma coisa que uma viagem te faz é pensar. E não há nada melhor para pensar do que fazer uma viagem.

O Michaelis define o termo viagem como: s. f. Ato de ir de um lugar a outro, sensivelmente afastados. Interessante esse “sensivelmente afastados”. Fato é que viagem não é somente uma ação física, ou melhor, não é somente uma ação abstrata. Porém, ela é melhor combinada quando você viaja na viagem. Sacô?

I feel so Happy that i met youDentre gargalhadas e muitos bons momentos, houve decepções e contratempos que André e eu preferimos chamar de fizeram uma porra de voodoo da gente uma marezinha de azar. Caimos do cavalo no conceito de “não pode piorar mais do que já está”. E vamos na estrada da experiência, porque viver sem pontapés, desilusões e erros quer dizer que não tomamos nenhum risco e não fazemos nada para a nossa vida.

Estive 22 horas dentro de um ônibus, mas não cheguei a pensar nem por mais de 2 ou 3 horas. O cansaço é grande e a noite é fria. Mas foi tempo suficiente para a culpa. As coisas acontecem por alguma razão e elas também não acontecem por alguma coisa. E nessa viagem, certas coisas não aconteceram como eu planejava que aconteceria. Mas estou feliz. Estou feliz que, mesmo não acontecendo, eu não fiquei com arrependimento. Não fiquei com culpa.

A culpa que eu tenho é passar pouco tempo com quem realmente importa. Há amigos que valem mais do que mil amores? Eu estou em uma fase de responder sim.

Obrigado Andrezito 😉 no fundo acho que só queria tua companhia longe de tudo que a gente convive. Nos fudemos, gastamos muito, nossos planos deram errados, não pegamos quem queríamos pegar, nem bêbado ficamos mas a saúde foi perdida do mesmo jeito e ainda fomos assaltados. Mas com a companhia do melhor amigo faz toda essa viagem se resumir em apenas uma palavra: memorável.

Anúncios

About this entry