paciência X impaciência

Enquanto o tempo acelera e pede pressa
Eu me recuso faço hora vou na valsa
A vida é tão rara
(…)
Será que é tempo que me falta pra perceber
Será que temos esse tempo pra perder
E quem quer saber
A vida é tão rara (tão rara)

Será que um dia ainda verei a neve?

Será que um dia ainda verei a neve?


“Paciência” por Lenine pode ilustrar zilhões de coisas na nossa vida. Por isso que, por mais chata que ela parece e soe, todo mundo ache ela linda e já gostou pelo o menos algumas vezes de sua existência.

Estava vendo numerologia do meu nome hoje pela manhã, depois do dia bem conturbado de ontem. Lá estava escrito que meu carma é a paciência. Não me pergunte qual sentido de paciência ele quis dizer, mas deve ser todos os possíveis.

Sempre me disseram que sou muito paciente. Bem tranquilo. Pacífico. Mas também já me disseram que sou chato, estúpido e metido (hehe).

Não gosto de brigar e fazer mal diretamente a alguma pessoa. Eu acredito em relacionamentos. Nossa relação com os outros é a coisa mais importante que temos de fazer. Nós convivemos por isso, gente!

Às vezes a gente machuca alguém sem saber. Às vezes a gente machuca alguém sabendo que vai machucar, mas acha que vai machucar só um pouquinho e que depois de entrar em um entendimento tudo ficará bem. Às vezes você é o machucado.

Às vezes você quer dizer mas tem medo. Medo… de ficar machucado.

Às vezes a gente tem a chance de perder a pessoa porque deixa de falar alguma coisa para ela, nem que seja simples quanto “eu me importo com você, com a sua pessoa, com o que você faz. Beijomeliga”. Às vezes você não fala e deixa pra lá porque lhe parece impaciência.

Mas o tempo é relativo… às vezes você precisa da impaciência porque a outra pessoa está, extamente, sem paciência.

Às vezes a gente tem a chance de perder a pessoa porque deixa de dar uma chance, de dar um tempo para ela nem que esse tempo faça algum mal para você (machuca só um pouquinho).

Mas uma coisa é unilateral: devemos reconhecer atitudes. Não somente atitudes de tomar a frente da situação, mas todos os detalhes que fizeram parte da construção de qualquer relacionamento (seja amizade, amor, familiar, de trabalho…). Em uma era onde o nosso ego está mais forte do que nunca, onde o EU, EU, EU quer porque quer do jeitinho que a gente quer, temos que identificar se podemos equilibrar a balança e responder à altura quando tem uma pessoa (que nos faz sentir maravilhosamente bem) querendo a gente.

Você tem essa paciência?

Anúncios

About this entry